Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Coisas que me deixam fula!

Num dos meus colégios, o ensino vem fazendo toda a diferença em termos tecnológicos - e não só - daí este ano terem sido implantados nas salas, onde ainda não havia, quadros interactivos. O quadro preto tradicional, já era! Apesar de, na minha opinião, achar que até podiam ter ficado uns pequenos. Mas percebo perfeitamente a opção da retirada integral dos quadros tradicionais: é que alguns colegas menos versadas nestas coisas das tecnologias, iriam menosprezar os quadros interactivos e continuar a usar os quadros tradicionais.

 

Mas a questão não é esta. Para estes quadros funcionarem, é preciso haver um computador para cada um deles. Cada vez que eu chego a uma sala para dar aulas - sim, porque eu pareço uma barata tonta sempre às voltas! - tenho de ligar o computador. Quamdo termino a aula, tenho de desligar, como é óbvio. Agora pergunto eu: quem é que não saber encerrar um computador? Qual é a dificuldade de chegar ali ao menu iniciar, clicar no encerrar e deixar o computador fazer o restante do processo? Nenhuma!

 

Para pouca sorte minha, sou eu sempre a última a utilizar os computadores. E é aqui que a porca torce o rabo... Numa das salas, às segundas-feiras, quando a minha colega liga o computador, há sempre problemas. E o computador acusa ter sido encerrado indevidamente! Quando aconteceu isto pela primeira vez, levei nas orelhas do director. Fiquei indignada porque eu tinha encerrado o computador normalmente. A partir desse dia, peço aos miúdos para olharem para o quadro sempre que estou a fazer o encerramento do computador, para que eles vejam e sejam minhas testemunhas de que o faço devidamente.

 

Na segunda-feira, andava o director a mostrar o colégio à mãe de um potencial novo aluno, quando entra na sala onde eu estava a trabalhar. Cumprimentos para aqui e para ali e ao sair o director remata com o seguinte "na sexta-feira, não encerrou o computador da sala X devidamente... a G. não conseguia trabalhar com ele hoje e o computador dizia que tinha sido forçado a encerrar...". Epá, só me apeteceu mandá-lo áquela parte!!! Eu encerrei o computador devidamente e os miúdos são minhas testemunhas...!

 

Agora levanto aqui algumas questões: que impressão terá ficado a tal mãe acerca de mim e do director? Será que a mãe ficou a pensar que o director dá "cházinhos" aos professores à frente de seja quem for (por acaso não dá)? Não haverá alguém que mexe no tal computador, porque a sala fica aberta e quem paga as favas sou eu? Se aquela sala não fosse uma rebaldaria, será que acontecia isto ao computador? Que mais posso eu fazer para não me atribuirem culpas de algo que não fiz? é que eu não sou propriamente uma ignorante em termos de tecnologia e até me atrevo a dizer, que devido às minhas formações na área da informática, sou das que mais sabem naquela escola!

 

Fico mesmo danada com estas coisas! É que alguém anda a fazer asneiras e eu é que estou a pagá-las... {#emotions_dlg.angry}

De Volta Ao Palanque.

 

Após umas micro férias, regressei ao activo. Cheguei feliz e contente à escola e ainda mais contente fiquei depois de ter encontrado o Donaltim no café e ele me ter dito que havia novidades nas salas. Mentalmente, esfreguei as mãos de contentamento, pois isso significava que, finalmente, todas as salas tinham quadros interactivos. Só não me passou pela cabeça o que me esperava.

 

Assim que entrei na secretaria, vi logo uma caixinha de livros e um teatrinho de fantoches que tinham chegado para mim. Ai que ainda fiquei mais contentinha. Só é pena umas editoras serem tão rápidas a fazer, pelo menos, parte da entrega dos materiais e outras demorarem sé-cu-los!

Levei os quilos de livros para a sala de apoio para depois fazer a contagem e a distribuição.

 

Depois disto, fui fazer a ronda das salas. Comecei pelos 3 anos. Fui dar uma beijoca à minha P. e ao meu pintainho, que assim que me viu, largou a brincadeira e veio agarrar-se a mim. E por acréscimo depois vêm outras crianças que me conhecem de vista mas que também levam beijocas.

 

Depois passei pelo recanto das cuscas que me miraram de cima a baixo e de baixo a cima. Não percebi se estavam a apreciar a minha blusa nova ou se tavam a cortar em mim. Também não me fez diferença. Se se sentem bem, falem. Achei piada foi à lata de me virem perguntar acerca de uma colega delas que se foi embora, qual tinha sido o motivo. Ahahahahah! Se estavam à espera de tirar nabos da púcara... enganaram-se! Elas bem ficaram à espera que eu lhes dissesse algo elucidativo, com sumo. Mas eu não disse. Embora eu saiba muita coisa, são coisas que me foram confiadas e que ninguém tem nada a ver com isso. Foi vê-las a ficar inchadas... Hihihihi!

 

Finalmente subi ao andar de cima. Ai! Aí é que vi a minha vida a andar para trás! Estava tudo em revolução por causa dos quadros interactivos. é que, por acaso, não tiveram mais dia nenhum para instalar aquilo sem ser o primeiro dia de aulas... Que cena, meu! Pensei logo que o tempo que tive a preparar as minhas aulas de hoje tinha sido em vão.

 

Mas o pior foi ter de andar a trocar de sala. Não é que os homenzinhos dos quadros andavam atrás de mim, ou seja das minhas aulas?! Para onde quer que fosse dar uma aula, os gajos adiantavam-se e pimba! Levavam para lá tudo para instalar os quadros. Só me apeteceu provocar ali um curto-circuito. Havia de ser uma risota do camandro ver os homenzitos a sair da sala desdentados, mascarrados e de cabelos em pé!

 

e foi assim o meu primeiro dia de aulas: sem sala, a andar a passear miúdos de um lado para o outro, a constatar que os miúdos cresceram imenso e que até regressaram de férias calminhos... vamos ver até quando!